logo insp copy

pesquisa
ptenfr

INSP promove Formação sobre Comunicação de Risco para Jornalista e Comunicadores

O Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP), em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) promoveu de 26 a 27 de julho uma ação de formação direcionada aos Jornalistas e comunicadores sobre Comunicação de Risco no contexto de Zika com enfoque na sensibilização sobre os aspetos do género.

A ação de capacitação teve como objetivo reforçar os conhecimentos e competências dos profissionais em matéria de comunicação de risco e aumentar as capacidades nacionais em meteria de gestão de risco em contexto de epidemias.

Segundo o presidente do INSP, Tomas Valdez, a formação visou divulgar experiência em matéria de Comunicação de Risco, para que os jornalistas e comunicadores possam estar aptos para ajudar a evitar consequências maiores,

“Vai- se partilhar ferramentas que apoiam os técnicos na área da comunicação social, para melhor elaborar as suas mensagens dirigidas à população, no que diz respeito a prevenção seja em situações de riscos sanitários como também em situações de respostas às epidemias.”

Para o Representante da OMS, Mariano Castellon, que presidiu a abertura do evento, o tema global que é a Comunicação de Riscos é um elemento importante para dar resposta em qualquer situação de emergência sanitária, seja ela uma catástrofe natural ou produzida por uma doença específica, como por exemplo o vírus Zika.

O Administrador Executivo do INSP, Júlio Rodrigues disse que com a formação espera-se que os profissionais sejam capazes de perceber os níveis de riscos, saber como lidar em situações de emergências e saber como fazer face a eventuais rumores que podem surgir diante de uma situação de ameaça à saúde pública.

A formação foi ministrada por dois formadores do Escritório da OMS Afro e foram abordados diferentes temas, como sejam, comunicação de risco em situação de urgência, mobilização social e engajamento comunitário, papel e responsabilidade dos órgãos de comunicação social, durante as urgências em saúde pública, entre outros.