𝟏𝟐 𝐩𝐫𝐨𝐟𝐢𝐬𝐬𝐢𝐨𝐧𝐚𝐢𝐬 𝐝𝐞 𝐬𝐚𝐮́𝐝𝐞 𝐞𝐧𝐭𝐫𝐞 𝐚𝐬 𝐪𝐮𝐚𝐢𝐬 𝐏𝐨𝐧𝐭𝐨𝐬 𝐅𝐨𝐜𝐚𝐢𝐬 𝐆𝐃𝐒 𝐞 𝐄𝐩𝐢𝐬𝐂𝐕 𝐝𝐚 𝐢𝐥𝐡𝐚 𝐝𝐞 𝐒𝐚𝐧𝐭𝐢𝐚𝐠𝐨 𝐭𝐞𝐬𝐭𝐚𝐦 𝐚𝐩𝐥𝐢𝐜𝐚𝐭𝐢𝐯𝐨 𝐆𝐮𝐚𝐫𝐝𝐢𝐨̃𝐞𝐬 𝐝𝐚 𝐒𝐚𝐮́𝐝𝐞 𝐞 𝐬𝐨𝐟𝐭𝐰𝐚𝐫𝐞 𝐞𝐏𝐇𝐄𝐌 𝐩𝐞𝐥𝐚 𝐩𝐫𝐢𝐦𝐞𝐢𝐫𝐚 𝐯𝐞𝐳 𝐞𝐦 𝐂𝐚𝐛𝐨 𝐕𝐞𝐫𝐝𝐞

O Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) e a Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi), no passado dia 5 de junho, realizaram o primeiro treinamento de utilização do software electronic Public Health Emergency Management (ePHEM) no âmbito do projeto Guardiões da Saúde: Líderes Comunitários.
Antes do arranque da sessão, a Coordenadora do Projeto em Cabo Verde, Presidente do INSP e Diretora do Programa de Treinamento em Epidemiologia de Campo de Cabo Verde (EpiCV), saudou e deu as boas vindas aos participantes.
Apresentou a equipa e explicou que o projecto incide apenas sobre a ilha de Santiago e salientou que o mesmo estriba-se numa comunicação eficiente e atempada com foco na resposta, considerando que este aspecto, é um dos segredos para promover a vigilância participativa, aliado ao avanço das novas tecnologias de informação.
Ainda a Coordenadora do Projeto em Cabo Verde, apelou ao engajamento de todos os pontos focais da ilha de Santiago, nesta importante fase do projeto em que os responsáveis das estruturas sanitárias deverão ter algum domínio da plataforma ePHEM que é um software de código aberto projetado pelos Escritórios Regionais do Mediteraneo Oriental e Africano da Organização Mundial da Saúde para ajudar na gestão de emergências de saúde pública permitindo uma resposta rápida, coordenada, eficaz e baseada em evidências.
Ou seja, a plataforma oferece suporte a várias funções essenciais durante crises de saúde, como epidemias, pandemias ou outros eventos de emergência permitindo uma resposta coordenada, eficaz e baseada em dados.
Posto isso, a oficina arrancou com uma agenda de trabalho, nomeadamente a exposição sobre o projeto: conceitos básicos de Vigilância Baseada em Eventos (VBE (sensibilização do profissional), e aplicação prática – treinando o uso do sistema ePHEM. Isto porque, os sinais reportados pelos líderes comunitários para saúde nos seus respectivos locais serão, por sua vez, avaliados por profissionais de saúde das respectivas comunidades através da plataforma ePHEM (Electronic Public Health Emergency Management), daí a necessidade dos pontos focais estarem munidos dessa ferramenta.
Um dos pontos focais, nomeadamente a Delegada de Saúde do município de Ribeira Grande, Dra. Jacira Varela, considerou que “a formação foi boa porque foi o meu primeiro contato com este projeto, eu já tinha conhecimento da sua existência através da indicação de 2 líderes comunitários, mas ao participar da formação eu tive a oportunidade de ter informações mais consistentes e a parte prática foi a melhor porque permitiu manejar o software e ver como os dados introduzidos pelos líderes comunitários podem ser interpretados e geridos na tomada de decisões.”
Por outro lado a ponto focal do município de São Lourenço dos Órgãos, Enfermeira Ilísita Ramos, referiu que “esta formação tem grande impacto para as actividades que serão realizadas posteriormente. Os conteúdos abordados, a sua aplicabilidade dão resposta às necessidades que irão procurar atingir os objetivos traçados”.
A sessão contou com a presença de alguns elementos da equipa de Cabo Verde no Guardiões da Saúde, nomeadamente Diogo Moniz (Epideomeligista), Isaac Carlos Rosário, (engenheiro) Dárcio Alberto Vasconcelos Ferreira (profissional de comunicação).
De uma forma geral, convém realçar que já foram realizadas duas oficinas de desenvolvimento em Cabo Verde, reunindo 22 lideranças comunitárias da ilha de Santiago. As mesmas já tiveram o primeiro teste e contato com o aplicativo Guardiões da Saúde de forma individual e particular através de um tablet com acesso a internet sendo facultado pelo Instituto Nacional de Saúde Pública. Posteriormente serão realizadas duas grandes oficinas de uso (Santiago Sul e Santiago Norte) com uma amostra de estudo mais alargada para testar o aplicativo em toda a ilha de Santiago.
O referido projeto trata-se de um estudo a ser realizado em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Pública de Cabo Verde (INSP), a Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi) e a Sala de Situação de Saúde da Universidade de Brasília (SDS/UnB) e a UK Public Health Rapid Support Team (UK-PHRST) e Visa investigar se um sistema de vigilância baseada em eventos (VBE) desenvolvido com líderes comunitários é viável e mais eficaz na detecção de surtos de doenças infeciosas do que sistemas convencionais de vigilância e que venha servir como um recurso inestimável para fortalecer os sistemas de informação do aplicativo, de modo a influenciar a tomada de decisão em saúde e produzir uma ação a nível comunitário.
Saiba mais sobre o Projecto Guardiões da Saúde: https://proepi.org.br/guardioes-lideres/

Outras Relacionados

IMG_6343
01
448773442_881161990714785_3598511586572814483_n - Copy
IMG_6251