logo insp copy

ptenfr

Semana Africana de Vacinação (# AVW2019)

De 22 a 28 de abril de 2019, a Semana Africana de Vacinação (# AVW2019) unirá a região africana para fortalecer os serviços e sistemas de imunização para que todos, em qualquer lugar, estejam protegidos de doenças evitáveis ​​por vacinação.

57422032 2239713926293034 5579089193822322688 n copyAs doenças evitáveis ​​por vacinação reivindicam as vidas de mais de meio milhão de crianças menores de 5 anos, todos os anos na África - representando 56% das mortes globais relacionadas a doenças evitáveis ​​por vacinação. A imunização é fundamental para evitar essas mortes e ajudar as crianças em todos os lugares a sobreviver e prosperar. A região africana obteve enormes ganhos para aumentar o acesso à imunização nas últimas duas décadas. Mas precisamos redobrar nossos esforços - muitas crianças africanas ainda vivem sem acesso a vacinas que salvam vidas.

O AVW 2019 vai celebrar os avanços feitos no combate às doenças que ameaçam a vida, aumentar a conscientização sobre a importância das vacinas e criar impulso para um maior acesso à imunização.

Tema deste ano, “Protegidos em conjunto: o trabalho das vacinas!" Apela a uma maior ação coletiva sobre a imunização na região africana, ressaltando o papel que todos têm nesse esforço. A Semana Africana de Vacinação 2019 também nos convida a celebrar heróis de vacinas de todo o continente que foram inspiradores e integrais para a entrega de vacinas e para salvar vidas.

Em Cabo Verde, Durante a Semana Africana de Vacinação, as atividades serão direcionadas à divulgação dos dados do Programa relativamente ao ano 2018 e ao reforço da comunicação e sensibilização da população sobre a importância da vacinação, dando relevância ao lema: População Vacinada; Populações Saudáveis e cujo tema, deste ano que é: Vacinados juntos: as vacinas funcionam.

O Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, afirmou esta segunda-feira, 22, durante a cerimónia de lançamento da Semana Africana de Vacinação, que Cabo Verde se destaca em relação aos outros países da sub-região, pela excelente cobertura vacinal, que ultrapassa os 95%, considerada pela OMS “taxa extremamente boa”.

Conforme o governante, “Cabo Verde não faz parte do grupo da aliança mundial para a vacina (GAV) e daí que a vacina tem um custo relativamente alto, mas este custo é suportado pelo Estado, que gasta anualmente cerca de 40 mil contos com a vacinação. Entretanto, salienta que resultados efetivos é um custo que vale a pena suportar. “Nós estamos a trabalhar para ver as implicações financeiras para também equacionamos a introdução do HPV no calendário vacinal sobretudo para os adolescentes”. Segundo Arlindo do Rosário, para esta introdução, está a ser realizado um estudo em relação ao grupo alvo, em relação as modalidades de introdução e o custo que isso irá representar.

“Estamos a estudar essa possibilidade levando em conta os diversos cenários possíveis, apesar do elevado custo que isso poderá ter. O importante é, nesses casos, ver o custo /efetividade, não se pode falar só sobre custo, mas sim o que é que isso se representa em termos de salvar, prevenir determinadas doenças como é o caso do cancro do colo de útero, um dos mais prevalecentes dentro de quadro epidemiológico de Cabo Verde.

Desde de 2015 vem sendo introduzidas gradualmente vacinas no calendário de vacinal e esta ação traduz em ganhos, nomeadamente, na redução da mortalidade infantil e ainda na eliminação de determinadas doenças preveníeis pela vacinação.

Arlindo do Rosário destacou a organização dos Serviços de Saúde por forma a melhorar o acesso das populações às vacinas, mas relembra que que para a além do “esforço Serviços de Saúde, a participação da população é fundamental por isso defende “reforçar lá onde for necessário, para mantermos os níveis de cobertura vacinal que temos”.

A cerimónia de lançamento da Semana Africana de Vacinação que teve lugar no Centro Cultural de Cidade Velha, contou com a presença do Representante da Organização Mundial de Saúde, do Chefe do Escritório Conjunto PNUD, FNUP e UNICEF, da Vereadora para área de Saúde e do Responsável do Centro de Saúde de Cidade Velha.

No final da sessão os presentes foram acarinhados com o momento cultural com as batuquiras de Cidade Velha e ainda na plateia a presença considerável de crianças do Jardim Infantil local.

A Semana Africana de Vacinação é uma iniciativa liderada pela OMS em colaboração com os parceiros, UNICEF, ONG e da sociedade civil, implementada pelos países da Região Africana. O evento oferece a oportunidade de promover a importância da vacinação, o acesso universal da população aos serviços de vacinação e o uso de vacinas em igualdade de direitos e incentivar o engajamento do Governo e dos diferentes intervenientes e parceiros nacionais no reforço dos programas nacionais de vacinação. 

Fonte: MSSS