logo insp copy

ptenfr

INSP celebra o seu V aniversário com o lançamento do “Ano de Hipertensão Arterial” e do primeiro desdobrável em braille sobre a Cobertura Universal em Saúde

Os dois momentos que marcam a comemoração do V aniversario do INSP, nomeadamente o lançamento do primeiro desdobrável em Braille sobre Cobertura Universal de Saúde e o lançamento da campanha “Ano da Hipertensão Arterial e Promoção de Comportamentos Saudáveis”, assinalam a determinação do governo no cumprimento dos ODS “sem deixar ninguém para trás” e na promoção da saúde atuando sobre os fatores de risco e nos determinantes da saúde.

Estas considerações foram feitas pelo Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, que presidiu a cerimónia de celebração do V aniversário do INSP e do lançamento do “Ano de Hipertensão Arterial e promoção de comportamentos saudáveis” e do primeiro desdobrável em braille sobre a Cobertura Universal em Saúde, que decorreu na cidade da Praia, 13 de março.

IMG 0527 copy

Lançamento do Ano de Hipertensão Arterial e promoção de comportamentos saudáveis sob o lema “TENSON ARTERIAL, DJOBI SEMPRE!”

Arlindo do Rosário disse que o seu ministério está a preparar o caminho para a transformação dos serviços de saúde, abandonando o modelo de serviços curativos, cujos custos só estão aumentando, para um modelo baseado na prevenção de doenças, resiliência climática e desenvolvimento sustentável.

Diapositivo2 copyNa sua intervenção a Presidente do INSP, Maria da Luz Lima, afirmou que a adoção do Ano da HTA e promoção de comportamentos saudáveis tem como principais objetivos promover a adoção de hábitos e estilos de vida saudáveis em Cabo Verde e reduzir os fatores de risco associados à hipertensão arterial e suas consequências.

Por sua vez o Representante da OMS, Mariano Salazar Castellon, disse que, dentro do quadro global, Cabo Verde deu passos importantes para abordar as doenças não transmissíveis, especialmente no que diz respeito aos riscos comportáveis ​​modificáveis, promovendo estilos de vida saudáveis ​​e ambientes promotores da saúde.

“Neste sentido, a OMS e seus parceiros têm sido um parceiro fundamental na implementação da abordagem multissetorial, desenvolvendo diferentes formas de alianças e apoiando uma diversidade de atores nacionais.”

O INSP lançou o ano de 2019, como o “Ano da Hipertensão Arterial e promoção de comportamentos saudáveis com o objetivo de sensibilizar a população em geral e promover a adoção de políticas e projetos de impacto sobre a saúde pública relacionados com essa problemática, no sentido de contribuir para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O lema escolhido é “TENSON ARTERIAL, DJOBI SEMPRE!”

Durante este ano, serão realizados um conjunto de ações, em parceria com entidades públicas, privadas e organizações da sociedade civil, para chamar a atenção da população cabo-verdiana para esta importante problemática com vista a redução da prevalência e controlo da doença e dos fatores de risco asociados.

 

Lançamento do primeiro desdobrável em braille sobre a Cobertura Universal em Saúde

IMG 0452

Relativamente a cobertura universal de saúde, o ministro reiterou que o governo está a reforçar as capacidades do Sistema Nacional de Saúde visando adotar abordagens melhoradas, centradas nas pessoas, nos fatores de risco e determinantes de saúde, através da implementação de pacotes nacionais dos serviços essenciais, priorizando os níveis primários e secundários de prestação de cuidados.

Arlindo do Rosário disse que Cabo Verde está alinhado com os ODS e com o XIII programa da Organização Mundial da Saúde que define três eixos principais para a saúde como sejam, a cobertura universal de saúde, a segurança sanitária e a promoção da saúde.

O lançamento do primeiro desdobrável em braille sobre a Cobertura Universal em Saúde é fruto de uma parceria entre o Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) e a Associação dos deficientes visuais de Cabo Verde (ADEVIC). Para Maria da Luz Lima, Presidente do INSP, essa parceria vai ser reforçada pois o desejo por um mundo mais justo e inclusivo tem estado a ganhar voz em Cabo Verde e particularmente no INSP.

“Nós não queremos deixar de lembrar, neste aniversário especial, esse desejo de inclusão, incorporando na nossa atividade celebrativa o lançamento do desdobrável em braile, sobre cobertura universal em saúde, que, esperamos ser de uma grande mais valia para todos os que irão beneficiar dessa importante informação. Essa atividade esperamos repetir com outros desdobráveis em matéria de promoção da saúde e reforçar ainda mais a parceria com o ADEVIC.”

Na ocasião, o Presidente da Associação Cabo-verdiana dos Deficientes Visuais (ADEVIC), Marciano Moreira, manifestou a sua satisfação e em nome do todos os deficientes visuais de Cabo Verde, e reiterou que irão continuar engajados em criar parcerias tanto com o INSP como com outras instituições para a promoção da saúde e em particular para as pessoas com deficiência visual, que segundo o mesmo, carecem das informações concernentes a área da saúde.

Marciano Morreira, deixou um apelo a todas as instituições no sentido de seguirem o modelo do INSP, por forma a que as pessoas com deficiência visual tenham acesso as informações em todas os domínios.

 

V aniversario do INSP

Diapositivo1 copy copyNo âmbito da celebração do V aniversário do INSP, a presidente do INSP, Maria da Luz Lima, teceu um balanço positivo sobre os 5 anos de funcionamento do Instituto Nacional de Saúde Pública.

Apresentou algumas conquitas, nomeadamente o desenvolvimento de parcerias e cooperação na área de saúde pública, na esfera nacional e internacional; a sua designação como Instituição Nacional de Coordenação (INC), no quadro da abordagem “Uma Só Saúde”, servindo de ligação entre o país e o Centro Regional de Vigilância e Controlo de Doenças (CRVCD) da Comunidade Económicas dos Estados da África Ocidental (CEDEAO); a instalação na sede do INSP, em 2018, do Centro Nacional de Operações de Emergências em Saúde Pública com o objetivo de contribuir para a melhoria da resposta nacional à situações de emergência em saúde púbica; a participação em projetos de investigações como a PERVEMAC e vários outros na área laboratorial; a criação do Observatório Nacional de Saúde (ONS) com uma função importante  em matéria de vigilância em saúde e a implementação do Sistema de Informação Geográfica em Saúde (SIG Saúde); o desenvolvimento da capacidade laboratorial contando agora, com três laboratórios (Laboratórios de Entomologia Médica, de Virologia e de Controlo de Qualidade de Água e Alimentos); o reforço do pilar Promoção e Comunicação em Saúde numa perspetiva multissetorial e pluridisciplinar, e que contou recentemente com a elaboração e validação do Plano Nacional de Promoção da Saúde.

Maria da Luz Lima reconheceu também que o INSP tem neste momento, muitos desafios pela frente, que se prendem com a sua afirmação nas áreas como a promoção da saúde, a investigação em saúde, a vigilância epidemiológica em complementaridade com a DNS, o desenvolvimento laboratorial, a formação e o reforço do papel da multisetorialidade nomeadamente na coordenação da Instancia Nacional de Coordenação (INC) no âmbito da abordagem Uma só saúde que engloba também a DNS, a DNA e a DGASP e, sobretudo o fortalecimento de recursos humanos, materiais e técnicos e o grande desafio do construção de um novo edifício.

O Ministro da Saúde e da Segurança Social, frisou que como instituto público inserido no Ministério da Saúde e da Segurança Social, trabalhando em estreita articulação e complementaridade com a Direção Nacional da Saúde, em funções essenciais de saúde pública como sejam vigilância sanitária, comunicação e promoção da saúde, pesquisa em saúde, o INSP vem nestes curtos cinco anos de existência ocupando o seu espaço e crescendo de modo seguro e consistente.

A OMS reconheceu o trabalho que o INSP tem vindo a desenvolver nestes 5 anos de existência e diz que o INSP tem contributo muito importante dar ao país e ao sector da saúde no âmbito da pesquisa em saúde, promoção da saúde, comunicação de risco em saúde, respostas ante emergências. entre outros.

“Reconhecemos também o papel que desempenha o INSP, para fortalecer a inteligência sanitária, um elemento fundamental para conduzir e ajustar intervenções de acordo com a agenda de grandes problemas de saúde pública que tem o país neste momento.”

O Instituto Nacional de Saúde Pública de Cabo Verde (INSP) foi criado em março de 2014, pela Resolução Nº 21/2014, no contexto de fortalecimento das políticas públicas e melhoria do Sistema Nacional de Saúde nomeadamente nas áreas de investigação, vigilância, formação e promoção da saúde e como órgão de produção de evidências e bases fatuais para apoiara organização da ação, com vista a obtenção de resultados em saúde.