logo insp copy

ptenfr

Assinala-se a 25 de Abril, o Dia Mundial de Luta Contra o Paludismo

ZERO PALUDISMO COMEÇA COMIGO”

«Zero malária começa comigo» é uma campanha dirigida ao público em todo o continente, no sentido de uma África sem malária. Inspirada no exemplo de sucesso do Senegal e coliderada pela Comissão da União Africana e a Parceria RBM pelo Fim da Malária, a campanha incentivará movimentos de base, nos quais indivíduos, famílias, comunidades, líderes religiosos, o setor privado, líderes políticos e outros membros da sociedade prometem assumir a responsabilidade no combate à malária.

58444489 2239733552957738 1995915806902321152 o copyOs esforços contra o paludismo em África passam por um momento crítico. Embora, desde 2016, alguns países tenham sofrido um aumento de mais de 20% dos casos de malária e mortes decorrentes da doença, outros mostram que vencer a doença é uma meta possível. De maneira geral, o continente africano enfrenta 90% dos casos de malária no mundo.

  •  Em resposta a essa situação, a Comissão da União Africana e a Parceria RBM pelo Fim da Malária estão a planear o lançamento da campanha «Zero malária começa comigo» em todo o continente africano em 2018.
  • Iniciada no Senegal em 2014, a campanha «Zero malária começa comigo» contribuiu de forma significativa para mobilizar a vontade política e os recursos para a eliminação da malária. Todos os setores da sociedade senegalesa – desde o presidente até aos defensores da campanha nas comunidades – abraçaram a oportunidade de o Senegal se tornar o primeiro país a eliminar a malária na África Ocidental.Organização Mundial da Saúde declarou o dia 25 de abril como o Dia Mundial de paludismo, uma doença potencialmente letal.
  • Forte envolvimento com os líderes do governo, do setor privado e da sociedade civil: como parte da campanha pan-africana «Zero Malária começa comigo», os líderes serão convidados a expressar publicamente o seu apoio à eliminação da malária e os seus compromissos concretos nesse sentido.
  • Defender um aumento do financiamento externo e doméstico para a eliminação da malária: como parte de uma estratégia abrangente para aumentar o apoio financeiro ao combate à malária, a campanha irá explorar mecanismos financeiros inovadores e irá atrair contribuições do setor privado.
  • Aumentar a sensibilização e a responsabilidade no âmbito da comunidade: um envolvimento público abrangente com particular incidência nos jovens e o desenvolvimento de uma rede de «defensores comunitários do combate à malária» são elementos centrais da campanha.
  • Fornecer apoio crítico às missões nos países endémicos da malária: a campanha irá apoiar os programas nacionais de controlo da malária nos esforços de eliminação por meio da elaboração prática de ferramentas da campanha «Zero malária começa comigo» e assistência técnica a pedido.
  •  Um endosso formal dos líderes da União Africana na 31.ª Cimeira da União Africana, em Nuaquechote, Mauritânia, no final de junho e começo de julho de 2018, será fundamental para a disseminação da campanha «Zero malária começa comigo» em todo o continente africano. Além do Senegal, os seguintes estados-membros da União Africana expressaram o seu interesse na campanha e a sua intenção de apoiá-la por meio dos mecanismos da União Africana: Etiópia, Moçambique, Suazilândia, Zâmbia e Zimbabué.

O dia, 25 de abril, é uma ocasião para destacar a necessidade de investir continuamente na prevenção e controle da doença. O paludismo ou a malária é uma doença  causada por parasitas do gênero Plasmodium transmitidas aos seres humanos pela picada de mosquitos infetados do gênero Anopheles. É uma doença evitável e curável. Tem prevalência na época mais quente entre julho a dezembro.