logo insp copy

ptenfr

INSP realiza Seminário “Mulheres e diabetes: nosso direito a um futuro saudável”

No dia em que se assinala o Dia Mundial da Diabetes, o INSP promove na Praia, um seminário sobre o lema “Mulheres e diabetes: nosso direito a um futuro saudável”, com o objetivo de reforçar a discussão sobre a problemática da diabetes em Cabo Verde e aumentar a sensibilização para os fatores de risco associados, entre os profissionais da saúde e as várias entidades que intervém direta ou indiretamente na matéria.

A Dra. Nívia Vieira, nutricionista do departamento de promoção da saúde do INSP, considera que a diabetes é uma doença que está intimamente relacionada com a alimentação inadequada e por isso é preciso reforçar a sensibilização da população para a adoção de uma alimentação saudável baseada em frutas e verduras locais.  Chama atenção ainda que esta alimentação recomendada aos doentes diabéticos é acessível à população e é preciso neutralizar a carga negativa de que os diabéticos não podem levar uma vida normal.

Em Cabo Verde tem se verificado que a diabetes mellitus, a par de outras doenças crónicas não transmissíveis têm aumentado de uma forma gradual bem como as suas complicações sendo a destacar as complicações microvasculares que causam o pé diabético, a cegueira por retinopatia e a insuficiência renal.

A Dra. Emília Monteiro, Coordenadora do Programa Nacional de Diabetes Mellitus, disse que Cabo Verde não foge a regra das tendências mundiais e segundo o IDNT (2007), a prevalência de diabetes era de 12% na população adulta Cabo-verdiana e desta taxa apenas 2% seguem o tratamento nos serviços de saúde. 

De acordo com o PNDS (2012-2016), “a diabetes mellitus, constitui um dos maiores problemas de saúde em Cabo Verde, com elevado custo social e financeiro às famílias e ao país. É a principal causa de amputação não traumática de membros inferiores, a terceira causa de cegueira adquirida, uma das principais causas de insuficiência renal crónica, um dos fatores de risco maior para as doenças cardiovasculares e motivo importante de internamentos por descompensação aguda. Não raramente o diagnóstico é tardio, sendo às vezes feito por ocasião das complicações, agudas ou crónicas, graves ou não” 

O sedentarismo, a prevalência crescente da obesidade, as alterações dos hábitos alimentares associado ao envelhecimento populacional, são alguns fatores que podem estar a contribuir para aumentar a prevalência da diabetes no país.

Durante o seminário foram apresentados e discutidos temas diversos ligado a diabetes nas mulheres, nomeadamente dietoterapia aplicada á diabetes e à diabetes gestacional, o manejo da diabetes gestacional: do acesso à educação, tratamento e atenção e a importância da educação na prevenção e controle da diabetes e suas complicações.