logo insp copy

ptenfr

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

Por ocasião do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, celebrado a 10 de setembro, o Instituto Nacional de Saúde Pública junta-se à iniciativa da Associação de Promoção da Saúde Mental - Aponte, na cerimónia de "Acender de Velas", na Pracinha da Escola Grande, em memória das vítimas do suicídio e em apoio às pessoas e famílias que estão enfrentando este problema.

Assinala-se a 10 de setembro, de cada ano, o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio (WSPD) que oferece a oportunidade para as pessoas, famílias, comunidades e instituições, aumentarem a consciencialização sobre o suicídio e sua prevenção. Este ano, sob o lema “Trabalhando juntos para prevenir o suicídio”,o objetivo é destacar que a prevenção do suicídio requer o esforço de todos.

Segundo a OMS, a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida, representando o suicídio, quase 800.000 mortes, por ano em todo o mundo, sendo que mais de 75% ocorre em países de baixa renda. Por cada suicídio, aproximadamente 135 pessoas são afetadas, resultando em 108 milhões de pessoas, anualmente, profundamente afetadas por comportamentos suicidas.

A redução da mortalidade por suicídio é um imperativo global e faz parte do compromisso global com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de reduzir em um terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis por meio da prevenção e tratamento e da promoção da saúde mental e do bem-estar.

Estudos mostram que abordagens multissetoriais para a prevenção do suicídio, incorporando várias intervenções, são eficazes. É necessária a colaboração em todos os níveis, nomeadamente, Governo e partes interessadas, associações, ONGs, comunidades, profissionais de saúde, pacientes, pessoas em risco, famílias, amigos e colegas de trabalho. Todos nós podemos desempenhar um papel na prevenção do suicídio.

O suicídio é, em Cabo Verde, a primeira causa de morte por causas externas, rondando meia centena de óbitos por ano. Esse fato tem causado muito sofrimento e desestruturação para as famílias que, muitas vezes, têm dificuldade em enfrentar o problema.

A pandemia pelo COVID-19 constitui uma situação de fragilidade para pessoas vulneráveis, contribuindo para o isolamento, angústia e ansiedade. Daí, a entreajuda e a compressão de outras pessoas são vitais para garantir a saúde mental e o bem-estar de todos os indivíduos.

Neste sentido, o Instituto Nacional de Saúde Pública, como o objetivo de reforçar as formas de prevenção do suicídio junto da população, sobretudo neste contexto de pandemia e chamar atenção para os sinais de risco, vai promover juntamente com vários parceiros um conjunto de atividades entre o mês de setembro e outubro, denominado “mês da promoção da saúde mental”.