logo insp copy

ptenfr

INSP assinalou o Dia Mundial da Hipertensão Arterial com um Seminário em Santiago Norte

No âmbito da iniciativa Ano do AVC, uma doença prevenivel e tratável, Konxel pa ivital, e para assinalar o Dia Mundial da Hipertensão Arterial, neste dia 17 de maio, o Instituto Nacional de Saúde Pública em parceria com a Região Sanitária Santiago Norte promoveu o Seminário Hipertensão arterial: principal fator de risco do Acidente Vascular Cerebral, na universidade de Santiago em Assomada.

IMG 9291 copySegundo o Coordenador da Iniciativa Ano do AVC, Júlio Lima, a hipertensão arterial sendo principal fator de risco para as doenças cardiovasculares, com este seminário pretendeu-se chamar atenção da população para este grande “vilão” que é uma doença silenciosa e que a metade das pessoas que tem a doença desconhecem a sua situação.

“Tendo em conta o contexto sanitário que temos foi escolhida este formato de seminários para se discutir esta problemática de saúde pública e aumentar a conscientização no sentido de contribuir para a redução do peso da hipertensão arterial na morbi-mortalidade em Cabo Verde” reforçou.

O último Inquérito das Doenças Crónicas não transmissíveis (2007) apontava que 30% da população Cabo-verdiana era hipertensa, aliás esta media é idêntica a média mundial em que se estima que 30% da população mundial vivem com esta doença.

O condenador da iniciativa ano do AVC, salientou que se trata de uma doença multifatorial, mas que tem por base o comportamento das pessoas através de adoção de estilos de vida pouco saudável como por exemplo o consumo excessivo do sal, alimentos gordurosos, entre outros.

Avançou que para os próximos meses serão realizadas várias outras atividades em formatos diferentes devido ao contexto de pandemia através de vídeos e publireportagens para aumentar a consciência e o conhecimento da população sobre o AVC.

A sessão de abertura foi presidida pela Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, Maria da Luz Lima e contou com a presença e alocuções do Representante da OMS em Cabo Verde, Hernando Agudelo, da Presidente de Câmara Municipal de Santa Catarina, Jassira Monteiro e do Reitor da Universidade de Santiago, Gabriel Fernandes.

A Presidente do INSP, Maria da Luz Lima, disse que todos os anos centenas de Cabo-verdianas morrem vítimas do AVC (Acidente Vascular Cerebral), por isso é necessário que todos os parceiros trabalhem juntos para enfrentar este problema e outros ligados a saúde pública porque todos têm um pepel importante na prevenção das doenças e na promoção da saúde. Exortou as entidades presentes a discutirem para uma estratégia de combate a hipertensão arterial e as suas consequências.

O Representante da OMS, Hernado Agudelo, considerou que a carga da hipertensão arterial tem subido de forma desproporcional nos países de baixa renda e cerca de metade das pessoas que vivem com a hipertensão arterial desconhecem a sua condição de saúde e muitas vezes se colocam em risco devidos a hábitos pouco saudáveis.

Em relação ao Dia Mundial da Hipertensão arterial que se assinala desde do ano de 2005 cujo lema para este ano de 2021 é “Meça a sua tensão arterial com precisão. Controle-a e Viva mais”, tem o objetivo aumentar a conscientização das pessoas sobre o HTA e investir em métodos preciso de medição da doença que pode ser facilmente detetada e tratada.

Hernando Agudelo exortou as pessoas que querem evitar a hipertensão arterial a terem em conta duas medidas importantes, nomeadamente alimentação com pouco sal, porque o sal é a primeira causa da hipertensão arterial no mundo e a segunda é fazer atividade física e evitar o sedentarismo.

Durante o seminário foram apresentados diversos temas como a “Hipertensão arterial: principal fator de risco para o AVC” pelo Cardiologista do Hospital Agostinho Neto, Luís Dias, “Estado de Arte da Hipertensão e AVC na Região Sanitária Santiago Norte”, pelo Diretor da Região, João Baptista Semedo e “Comportamentos Saudáveis na Prevenção e Controlo da Hipertensão”, pela Coordenadora do Programa de Prevenção da Diabetes e outros Distúrbios Metabólicos da DNS, Emília Monteiro.

O Seminário que foi realizado em formatos presencias e online através da plataforma ZOOM, contou com a participação de profissionais de saúde, outros sectores, sociedade civil e ONG’s.